Surata Al-Insan

Fonte: wikishia

Surata Al-Insan ou Al-Atá ou Ad-Dahr é a septuagésima sexta surata e uma das suratas do Alcorão reveladas em Madina, localizada na parte 29. A Surata Insan fala sobre a criação e orientação do homem, os atributos dos justos e as bênçãos que Deus lhes dá, bem como a importância do Alcorão e da providência de Deus.

De acordo com os comentaristas xiitas e alguns sunitas, o oitavo versículo desta surata, conhecido como o versículo da alimentação, foi revelado em homenagem a Imam Ali (a.s.), Fatima Az-Zahrá (s.a.), Hassanain (a.s.) e seu servo Fazah. Eles cumpriram seu voto de jejum por três dias consecutivos e mesmo tendo fome, deram seu Iftar aos pobres, órfãos e cativos.

Entre as recompensas mencionadas por recitar esta surata está a companhia do Profeta (s.a.a.s.) na outra vida (no Mundo do Além).

Introdução

Nomenclatura

Esta surata é conhecida como Al-Insan, Al-Atá e Ad-Dahr.[1] Essa nomenclatura ocorre porque essas três palavras são mencionadas no primeiro versículo.[2] Esta Surata também é chamada de Ab'rar (os justos); porque esta palavra aparece no quinto versículo e mais da metade desta surata trata da história dessas pessoas.[3]

Local e Ordem de Descida

Surata Al-Insan é a nonagésima oitava surata que foi revelada ao Profeta (s.a.a.s.). Esta surata é a septuagésima sexta surata no arranjo atual de Livro Sagrado (Alcorão)[4] e está na parte 29.[5]

Há uma diferença entre esta Surata ser Makki (revelada em Meca) ou Madani (revelada em Medina). De acordo com Nasser Makarem Shirazi, um dos comentaristas xiitas, os comentaristas xiitas concordam que toda esta surata ou pelo menos os versículos sobre o status de Ab’rar e os seus atos justos foram revelados em Madina.[6] Qurtubi, um dos comentaristas sunitas do século VII lunar, também é da opinião de que os famosos estudiosos sunitas consideraram esta surata como Madani.[7] No entanto, alguns comentaristas sunitas consideraram-na Makki[8] e alguns consideraram os primeiros versículos da surata como Makki (revelada em Meca) e do oitavo versículo até o final como Madani (revelada em Medina).[9]

Número de Versículos e Outras Características

Surata Al-Insan tem 31 versículos, 243 palavras e 1.089 letras. Em termos de volume, esta surata é uma das suratas dos capítulos (com versículos curtos) e uma das suratas relativamente pequenas.[10] Esta surata é uma das suratas completamente gravadas no novo santuário de Abbas (filho do Imam Ali).[11]

O Conteúdo

Tafsir (Interpretação) do Alcorão “Nemuné” dividiu o conteúdo da Surata Al-Insan em cinco tópicos e temas gerais:

Primeiro: a criação do homem, a sua criação a partir do esperma, e a orientação e liberdade da sua vontade;

Segundo: a recompensa pelas boas ações (que é sobre Ahl al-Bayt (a.s.));

Terceiro: as características das pessoas boas que as tornam dignas de receber recompensas divinas;

Quarto: a importância do Alcorão, a forma de implementar os seus mandamentos e os altos e baixos do auto-aperfeiçoamento;

Quinto: A soberania da providência e da vontade divina.[12]

Notas de Interpretação

Características de Pessoas Boas

Artigo principal: Ab’rar

Na Surata Al-Insan (versículos 7-11), cinco características são descritas na descrição dos justos (Ab’rar): 1. Eles mantêm seus votos. 2. Eles têm medo do dia em que seu tormento e dor serão generalizados. 3. Embora precisem de comida, eles a dão aos pobres, aos órfãos e aos cativos. 4. Eles fazem isso apenas para agradar a Deus e não esperam nenhuma recompensa ou agradecimento de ninguém. 5. Eles temem ao seu Senhor num dia sombrio e terrível (ou seja, o Dia da Ressurreição).[14]

A Bênção de Hur al-Ain Não é Mencionada Nesta Surata

Segundo Alussi, um dos comentaristas sunitas, porque esta surata foi revelada na dignidade e virtude de cinco membros da família do Profeta (s.a.a.a.s.), entre os quais Fátima Az-Zahrá (s.a.), a seu respeito, nenhum nome das mulheres do Paraíso (Hur Al-Ain) foi mencionado.[15] Allameh Tabatabai também esclareceu que na Surata Al-Insan, não há menção de Hur al-Ain como uma das bênçãos mais importantes do Paraíso; portanto, pode-se dizer que as mulheres também estiveram presentes entre os nobres (e os justos) em cuja homenagem este versículo foi revelado.[16]

Versículos Famosos

Versículo de Alimentação

Artigo principal: Versículo de Alimentação

“وَيُطْعِمُونَ الطَّعَامَ عَلَىٰ حُبِّهِ مِسْكِينًا وَيَتِيمًا وَأَسِيرًا» (آیه ۸)”

Tradução: E porque, por amor a Ele (Allah), alimentam o necessitado, o órfão e o cativo (76:8).

O oitavo versículo da Surata Al-Insan (juntamente com os versículos anteriores e posteriores) é conhecido como o versículo da alimentação.[17] De acordo com Makarem Shirazi, os estudiosos xiitas concordam que este versículo junto com outros versículos (dezoito versículos deste capítulo ou todo ele) são sobre os três dias de jejum do Imam Ali (a.s.), Fatima Az-Zahrá (s.a.), Hassainain ( Imam Hassan e Imam Hussein) e Fazah foram revelados.[18] Foi narrado que essas pessoas, embora estivessem com fome, deram seu Iftar a pedido dos pobres, órfãos e cativos.[19] Existem muitas narrações que expressam esta dignidade de descendência,[20] Aiatolá Makarem Shirazi referindo-se à narração de Ibn Abbas sobre a dignidade e virtude de Ahl al-Bayt (a.s.) de 34 narradores sunitas que Allameh Amini citou em Kitab (Livro) al-Ghadir.[21] Ele considerou esta narração popular entre os sunitas, mas é mais frequente.[22]

Versículo de Bebida Pura

“وَسَقَاهُمْ رَبُّهُمْ شَرَابًا طَهُورًا (آیه ۲۱)”

Tradução: E o seu Senhor lhes saciará a sede com uma bebida pura! (76:21)

Allameh Tabatabai em Tafsir al-Mizan considerou a bebida pura como uma bebida que remove todos os tipos de sujeira e impureza, entre elas a sujeira da negligência, privação e afastamento de prestar atenção a Deus. Allameh Tabatabai ainda acredita que neste versículo Deus removeu os mediadores e atribuiu diretamente a si mesmo a rega dos seres celestiais, e esta é a bênção mais virtuosa que os seres celestiais recebem.[23]

Versículo de al-Ahkam

O sétimo verso da Surata Al-Insan foi listado entre os versículos de Al-Ahkam (Disposições da Sharia).[25] Em relação a este versículo, que afirma que cumprir o voto é um dos atributos do justo[26], é dito que é permitido e até obrigatório cumprir o voto.[27]

Virtudes e Propriedades

Veja também: Virtudes da Surata

Nos hadiths, a recompensa de recitar a Surata Al-Insan, Paraíso[28] e a companhia do Profeta (s.a.a.s.) na Outra Vida (no Mundo do Além) são declaradas.[29] Também é afirmado que o Imam Al-Rida (a.s.) costumava recitar a Surata Al-Hamd e a Surata Al-Insan no primeiro rakat nas orações da manhã de segunda e quinta-feira, e a Surata Ghashiyya no segundo rakat depois de Hamad e disse que quem fizer isso, Deus o protegerá do mal por dois dias.[30]

Algumas propriedades também foram mencionadas para recitar esta Surata, como se alguém continuar recitando a Surata Al-Insan, se sua alma estiver fraca, ele terá força espiritual.[31] Ler esta surata é útil para fortalecer os nervos e evitar a ansiedade.[32]

Texto e tradução da Surah Insan

بِسْمِ اللَّهِ الرَّحْمَٰنِ الرَّحِيمِ هَلْ أَتَى عَلَى الْإِنْسَانِ حِينٌ مِنَ الدَّهْرِ لَمْ يَكُنْ شَيْئًا مَذْكُورًا ١ إِنَّا خَلَقْنَا الْإِنْسَانَ مِنْ نُطْفَةٍ أَمْشَاجٍ نَبْتَلِيهِ فَجَعَلْنَاهُ سَمِيعًا بَصِيرًا ٢ إِنَّا هَدَيْنَاهُ السَّبِيلَ إِمَّا شَاكِرًا وَإِمَّا كَفُورًا ٣ إِنَّا أَعْتَدْنَا لِلْكَافِرِينَ سَلَاسِلَ وَأَغْلَالًا وَسَعِيرًا ٤ إِنَّ الْأَبْرَارَ يَشْرَبُونَ مِنْ كَأْسٍ كَانَ مِزَاجُهَا كَافُورًا ٥ عَيْنًا يَشْرَبُ بِهَا عِبَادُ اللَّهِ يُفَجِّرُونَهَا تَفْجِيرًا ٦ يُوفُونَ بِالنَّذْرِ وَيَخَافُونَ يَوْمًا كَانَ شَرُّهُ مُسْتَطِيرًا ٧ وَيُطْعِمُونَ الطَّعَامَ عَلَى حُبِّهِ مِسْكِينًا وَيَتِيمًا وَأَسِيرًا ٨ إِنَّمَا نُطْعِمُكُمْ لِوَجْهِ اللَّهِ لَا نُرِيدُ مِنْكُمْ جَزَاءً وَلَا شُكُورًا ٩ إِنَّا نَخَافُ مِنْ رَبِّنَا يَوْمًا عَبُوسًا قَمْطَرِيرًا ١٠ فَوَقَاهُمُ اللَّهُ شَرَّ ذَلِكَ الْيَوْمِ وَلَقَّاهُمْ نَضْرَةً وَسُرُورًا ١١ وَجَزَاهُمْ بِمَا صَبَرُوا جَنَّةً وَحَرِيرًا ١٢ مُتَّكِئِينَ فِيهَا عَلَى الْأَرَائِكِ لَا يَرَوْنَ فِيهَا شَمْسًا وَلَا زَمْهَرِيرًا ١٣ وَدَانِيَةً عَلَيْهِمْ ظِلَالُهَا وَذُلِّلَتْ قُطُوفُهَا تَذْلِيلًا ١٤ وَيُطَافُ عَلَيْهِمْ بِآنِيَةٍ مِنْ فِضَّةٍ وَأَكْوَابٍ كَانَتْ قَوَارِيرَا ١٥ قَوَارِيرَ مِنْ فِضَّةٍ قَدَّرُوهَا تَقْدِيرًا ١٦ وَيُسْقَوْنَ فِيهَا كَأْسًا كَانَ مِزَاجُهَا زَنْجَبِيلًا ١٧ عَيْنًا فِيهَا تُسَمَّى سَلْسَبِيلًا ١٨ وَيَطُوفُ عَلَيْهِمْ وِلْدَانٌ مُخَلَّدُونَ إِذَا رَأَيْتَهُمْ حَسِبْتَهُمْ لُؤْلُؤًا مَنْثُورًا ١٩ وَإِذَا رَأَيْتَ ثَمَّ رَأَيْتَ نَعِيمًا وَمُلْكًا كَبِيرًا ٢٠ عَالِيَهُمْ ثِيَابُ سُنْدُسٍ خُضْرٌ وَإِسْتَبْرَقٌ وَحُلُّوا أَسَاوِرَ مِنْ فِضَّةٍ وَسَقَاهُمْ رَبُّهُمْ شَرَابًا طَهُورًا ٢١ إِنَّ هَذَا كَانَ لَكُمْ جَزَاءً وَكَانَ سَعْيُكُمْ مَشْكُورًا ٢٢ إِنَّا نَحْنُ نَزَّلْنَا عَلَيْكَ الْقُرْآنَ تَنْزِيلًا ٢٣ فَاصْبِرْ لِحُكْمِ رَبِّكَ وَلَا تُطِعْ مِنْهُمْ آثِمًا أَوْ كَفُورًا ٢٤ وَاذْكُرِ اسْمَ رَبِّكَ بُكْرَةً وَأَصِيلًا ٢٥ وَمِنَ اللَّيْلِ فَاسْجُدْ لَهُ وَسَبِّحْهُ لَيْلًا طَوِيلًا ٢٦ إِنَّ هَؤُلَاءِ يُحِبُّونَ الْعَاجِلَةَ وَيَذَرُونَ وَرَاءَهُمْ يَوْمًا ثَقِيلًا ٢٧ نَحْنُ خَلَقْنَاهُمْ وَشَدَدْنَا أَسْرَهُمْ وَإِذَا شِئْنَا بَدَّلْنَا أَمْثَالَهُمْ تَبْدِيلًا ٢٨ إِنَّ هَذِهِ تَذْكِرَةٌ فَمَنْ شَاءَ اتَّخَذَ إِلَى رَبِّهِ سَبِيلًا ٢٩ وَمَا تَشَاءُونَ إِلَّا أَنْ يَشَاءَ اللَّهُ إِنَّ اللَّهَ كَانَ عَلِيمًا حَكِيمًا ٣٠ يُدْخِلُ مَنْ يَشَاءُ فِي رَحْمَتِهِ وَالظَّالِمِينَ أَعَدَّ لَهُمْ عَذَابًا أَلِيمًا ٣١

"Surata Al-Insan – O ser Humano – 76ª Surata "

Em nome de Deus (Allah), o Clemente, o Misericordioso.

1. Acaso, não transcorreu um longo período, desde que o ser humano nada era?

2. Em verdade, criamos o ser humano, de esperma misturado, para prová-lo, e o dotamos de ouvidos e vistas.

3. Em verdade, assinalamos-lhe uma senda, quer fosse agradecido, quer fosse ingrato.

4. Em verdade, aos incrédulos, destinamos correntes, grilhões e o fogo abrasador.

5. Em verdade, os justos beberão, em uma taça, um néctar mesclado com cânfora,

6. De uma fonte, da qual beberão todos os servos de Allah, fazendo-a fluir abundantemente,

7. Porque cumprem os seus votos e temem o dia em que o mal estará espalhado,

8. E porque, por amor a Ele (Allah), alimentam o necessitado, o órfão e o cativo.

9. (Dizendo): Certamente vos alimentamos por amor a Allah; não vos exigimos recompensa, nem gratidão.

10. Em verdade, tememos, da parte do nosso Senhor, o dia da aflição calamitosa.

11. Mas Allah os preservará do mal daquele dia, e os receberá com esplendor e júbilo;

12. E os recompensará, por sua perseverança, com um vergel e (vestimentas de) seda,

13. Onde, reclinados sobre almofadas, não sentirão calor nem frio excessivos.

14. E as sombras (do vergel) os cobrirão, e os cachos (de frutos) estarão pendurados, em humildade.

15. E serão servidos em taças de prata e em copos cristalinos,

16. Feitos de prata, semelhantes a cristal, que lhes serão fornecidos em abundância.

17. E ali ser-lhes-á servido um copo de néctar, cuja mescla será de Zanjabil (gengibre),

18. De uma fonte (no Paraíso), chamada Salsabil.

19. E os servirão mancebos imortais; quando os vires, parecer-te-ão pérolas dispersas.

20. E quando olhares além, verás glórias e um magnífico reino.

21. Sobre eles haverá vestimentas verdes, de tafetá e de brocado; estarão enfeitados com braceletes de prata e o seu Senhor lhes saciará a sede com uma bebida pura!

22. Sabei que esta será a vossa recompensa, e os vossos esforços serão reconhecidos.

23. Em verdade, temos-te revelado (ó Mensageiro), o Alcorão, por etapas.

24. Persevera, pois, até ao Juízo do teu Senhor, e não obedeças a nenhum dos pecadores ou incrédulos,

25. E celebra o nome do teu Senhor, de manhã e à tarde.

26. E adora-O, e glorifica-O durante grande parte da noite.

27. Em verdade, (quanto aos outros) preferem a efêmera vida terrena e tentam afastar a lembrança de um dia (que será) pesado.

28. Nós os criamos e fortalecemos as suas estruturas; porém se quiséssemos, suplantá-los-íamos inteiramente por outros, semelhantes a eles.

29. Em verdade, esta é uma admoestação; e, quem quiser, poderá encaminhar-se até à senda do seu Senhor.

30. Porém, só o conseguireis se Allah o permitir, porque é Prudente, Sapientíssimo.

31. Ele admite em Sua misericórdia quem Lhe apraz; porém, destinou aos injustos, um doloroso castigo.